Depressão

Dor irremediável
afagos inúteis
pensamento focado nos calos
causos jogados na sarjeta

controle quebrado por agonia
imagens inapagáveis  corroendo a memória
ópio castrado por falta de história
histeria noturna ao ler poesias

bitucas de depressão jogadas junto ao cartão
poeira restante da noite em vão
a cama tão dura quanto o coração
coração tão seco quanto os vidros no chão

6 Comentários:

Elyane Lacerdda disse...

Lindo poema,amigo!
A depressão é realmente o problema de nossa sociedade Contemporânea!
Somos sozinhos na Multidão!
Cada um na sua...não existe mais a preocupação com sentmentos, estamos nos tornando verdadeiras máquinas!
Bjus e bom final de semana!
http://www.elianedelacerda.com

PEQUENOS DELITOS RENOVADOS disse...

Ótimo poema Brendo...
A depressão nos deixa um lixo... sei o que é isso...

Simone Lima disse...

Não podia ter definido melhor nesses teus versos.

Beijoo'o
flores-na-cabeca.blogspot.com

My Precious Space disse...

Um problema bastante atual..infelizmente!!
Bem escrito ;) Gostei**
http://mypreciouspace.blogspot.pt

Claudio Chamun disse...

Caprichou garoto.

Histórias, estórias e outras polêmicas

Andressa Pereira disse...

Muito boa, muito bem retratado. Só faltou citar imagens borradas no fundo de um copo alcóolico!

Identidade Aleatória
O Identidade Aleatória está no facebook!

Postar um comentário

Obrigado por Comentar

 

Brendo Vieira © 2010

Blogger Templates by Splashy Templates